Barra de Menus

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Vida financeira do casal – um cuidado a parte

Esses dias, eu e o meu marido estamos enfrentando uma experiência no mínimo desafiante: estamos tentando tomar decisões assertivas sobre nosso gerenciamento financeiro (contas a pagar, proventos, investimentos etc). É claro que já tínhamos uma rotina de pagamento desde que casamos, mas basta ter uma “ponta solta” para tudo sair dos eixos.
Dinheiro é sempre um assunto muito delicado e quando envolve duas pessoas com culturas distintas, fica ainda mais difícil.

Para tratar de questões financeiras após o casamento, é preciso muita maturidade, paciência e controle. Quando estes três itens não estão presentes na relação, dinheiro vai sempre ser sinônimo de problema. É preciso levar em conta como o dinheiro era gerenciado por cada um antes da união: um era mais gastador e o outro mais controlado? Um tinha sempre uma poupança e o outro só lembrava de guardar quando precisava e não tinha? Ou os dois sempre foram controlados financeiramente?






Certa vez li que dificilmente duas pessoas descontroladas financeiramente conseguiam manter um casamento sólido. Isto porque muita gente deixa de fora a qualidade de gerenciamento quando busca alguém pra compartilhar a vida. Isto é quase tão importante quanto qualquer outro sentimento.

Se um casal fica sempre sem dinheiro, ele acaba deixando de lado as contas (gerando assim preocupações que poderiam ser evitadas), o lazer (pois estarão sempre sem dinheiro pra sair ou até mesmo para fazer um programinha em casa), as conquistas (pois parece nunca ter dinheiro pra comprar móveis novos, um carro, uma viagem, uma poupança etc) e por aí vai.. e isso desgasta muito um relacionamento.















Eu havia realizado algumas pesquisas pouco antes de me casar sobre como não deixar esse assunto se tornar o centro das atenções na vida a dois. Então, vou compartilhar um pouco do que aprendi resumindo ao máximo para não ficar muito extenso e cansativo, lembrando que é um assunto a ser levado muito a sério tento pelos noivos (antes do casamento) quanto por aqueles que já se casaram e que às vezes acham que está tudo sob controle em suas vidas financeiras, afinal, eu também pensava assim.

Uma pesquisa divulgada na revista Você S/A
de junho de 2004, feita com 150 pessoas casadas,
revela que 38% delas assumem que brigam em casa por causa de dinheiro. A publicação destaca que esse número não leva em consideração casais que estão em rota decolisão mas preferem fingir que tudo anda bem.
 (Casais Inteligentes Enriquecem juntos - Gustavo Cerbasi)


Como não perder o controle sobre a vida financeira?

A primeira atitude a ser tomada pra evitar um fiasco financeiro é colocar todas as contas no papel ou em uma planilha do Excel. Coloque lá desde gastos com contas fixas (água, luz, telefone, internet, tv a cabo, aluguel, gás), financiamentos a curto ou longo prazo (parcelas do carro, cartão de crédito, empréstimos) a gastos do dia a dia (compras para casa, lazer, roupas e sapatos, produtos de beleza etc).
O Softonic tem vários modelos de planilhas interessantes de gerenciamento financeiro disponíveis para download gratuitamente. Clique aqui e visite a página.

Como gerenciar os ganhos e pagar as contas?

Existem basicamente duas maneiras de gerenciar os ganhos e os pagamentos domésticos: somar tudo que foi recebido por ambos e pagar todas as contas; ou dividir as contas de acordo com o percentual ganho por cada um. Se optarem por somar os ganhos para pagar tudo em conjunto, é preciso levar em consideração que o que sobra (caso sobre), deve ser guardado para as necessidades de ambos de forma igualitária. Caso optem por dividir as contas de acordo com o que cada um ganha, deve-se considerar que os gastos do dia a dia como supermercado, lazer etc devem ser pagas também de forma separada. Uma sugestão seria adquirir um cartão de débito (onde ambos creditam lá um valor x mensalmente para gastarem com lazer, por exemplo).

Como controlar minhas finanças para reduzir as dificuldades financeiras?

Criando uma poupança para o casal, gastando menos do que ganham, investindo em projetos a curto e longo prazo...  Se vocês ganham o suficiente para pagar as contas e sobra sempre uma certa quantia (mesmo que esta quantia sofra alterações constantes), guarde sempre em uma poupança 15% disso. Será melhor utilizado quando vocês mais precisarem futuramente.



Bom, como já puderam ver, utilizei bastante informações obtidas no livro “Casais Inteligentes Enriquecem Juntos”, do autor super prestigiado, Gustavo Cerbasi. Então, indico a leitura tanto aos que um dia pretendem se casar e/ou ter filhos, quanto aos recém-casados e até mesmo para quem já tem a vida financeiro/conjugal sólida. O conhecimento é válido para todos. Então, boa leitura e até a próxima porque este assunto ainda será discutido aqui outras vezes.



Cida.